Quando pensamos em tecnologia e inovação incluídos na educação de crianças e jovens, pensamos que essas perspectivas estão muito longe da realidade, coisa pra daqui 10 ou 20 anos. Mas a verdade é que várias tecnologias já estão implantas em salas de aula do país todo. Os professores tem melhorado cada vez mais suas práticas pedagógicas, o que nos trás dados relevantes para a educação no país. Um estudo feito em 2016, aponta que 94% dos professores acreditam que o uso de tecnologias permite o acesso a materiais didáticos mais diversos e de melhor qualidade. Além disso, a maioria concorda que outros benefícios são a adoção de novos métodos de ensino e o cumprimento de ações administrativas com maior facilidade. Tendo isso em vista, apontamos três novidades que já podem ser vistas nas escolas: 1. Livro Digital As principais livrarias do Brasil investiram nos seus próprios modelos de e-reader, e rapidamente essa novidade foi adotada nas escolas, pois  além de ser prático, leve e moderno, existe possibilidade de se explorar recursos que vão muito além do que é apresentado no livro didático impresso, tais como: vídeos, áudios, animações, simulações, mapas interativos, softwares, links e muitos outros materiais que visam a facilitar a aprendizagem. 2. Gamificação Você já imaginou trazer a dinâmica dos games para a sala de aula? É disso que se trata a gamificação, trazer alguns dos aspectos dos jogos para as aulas, incitando o desafio, que estimula os alunos a se superarem; a definição de objetivos, que ajuda o estudante a manter o foco nas tarefas; e a competição, que aumenta o engajamento quando incentivada de maneira saudável.
Gamificação
Dinâmicas da Gamificação
                    3. Redes Sociais Mesmo sendo usadas principalmente para entretenimento, as redes sociais têm grande potencial de contribuir com o processo educativo. A formação de grupos nas redes é uma prática que já vem sendo adotada entre professores e alunos para facilitar o envio de materiais diferentes e interessantes, que atraem a atenção dos alunos, justamente por fugir da abordagem padrão usada em sala. Quando criados envolvendo professores e gestão escolar, por sua vez, os grupos permitem a troca de boas práticas pedagógicas e ajudam a transmitir avisos de forma mais rápida.